Apresentação

 

O GT da Anpoll: A mulher na literatura, fundado em 1985,  em parceria com a Universidade Federal de Sergipe, apresenta o XVIII Seminário Internacional Mulher & Literatura,  que  acontecerá no período de 14 a 17 de agosto  de 2019, na cidade de São Cristóvão, com a temática: Escritas de resistência, voltado para os estudos dos textos literários de autoria feminina e para a crítica literária feminista e suas intersecções na contemporaneidade. Esta edição propõe a diminuição do duplo nome que o evento vem recebendo desde 2003, respeitando o total de seminários nacionais já organizados: dezessete e o termo internacional que dá mais abrangência aos estudos feitos pelas pesquisadoras do GT e de universidades estrangeiras. Essa estratégia segue as diretrizes da Capes para a internacionalização dos programas de pós-graduação no Brasil. 

A escolha da temática Escritas de resistência justifica-se por uma necessidade de reflexão crítica sobre os avanços dos estudos que privilegiam o lugar de fala da  mulher no campo literário.  A resistência feminina na contemporaneidade projeta-se por duas perspectivas políticas: a estratégia de garantia das conquistas femininas das últimas décadas;   a ampliação dos direitos por salários iguais;  e a luta contra as diferentes formas de violência impostas historicamente à mulher. Por uma perspectiva  interdisciplinar, a crítica feminista tem buscado novas abordagens teóricas e metodológicas para fortalecer seu papel de resistência e dar visibilidade ao resgate de importantes escritoras esquecidas e à vasta produção literária feminina da contemporaneidade em diferentes gêneros literários: romance, conto, poema, teatro, memórias, roteiros audiovisuais, entre outros.

Na sessão de homenagens, vamos promover reflexões sobre as obras das escritoras de Cabo Verde e de Sergipe. Do país africano, herdeiro da língua e cultura portuguesa, selecionamos as obras de: Orlanda Amarílis, Dina Salústio e Vera Duarte. Com o intuito de dá visibilidade à produção das escritoras de Sergipe, vamos privilegiar as literaturas de  Alina Paim, Núbia Marques, Gizelda Morais e Maria Lúcia Dal Farra. Temos em questão seis escritoras muito queridas pela força de suas singularidades literárias e pela forma como exploram temas voltados para questionar os valores sociais e artísticos das sociedades de Cabo Verde e do Brasil. Os diferentes contextos históricos de suas produções pedem análises diversificadas da forma como cada uma explora as sutilezas da literatura para registrar a resistência da mulher diante das agruras da vida.

Para ampliarmos os debates propostos pelo GT A Mulher na Literatura, convidamos a comunidade acadêmica para a participação nesta edição composta por conferências, mesas plenárias, mesas redondas, minicursos, mesa de  depoimentos das escritoras homenageadas e sessões de comunicações.

Esta edição pretende articular as contribuições das pesquisas feitas sobre autoria feminina com o Ensino de Literatura para a Educação Básica em uma parceria com o Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS). Torna-se fundamental debatermos sobre as possibilidades de divulgação dos resultados dos trabalhos de resgate e revisão do cânone a partir das contribuições da crítica feminista. Esse desafio passa por reflexões acerca do uso de novas formas de divulgação de nossas pesquisas por meio de trabalhos alternativos como a produção de vídeos didáticos em Libras, promovendo a divulgação da produção das escritoras africanas e sergipanas, pouco divulgadas em material didático e a acessibilidade e a inclusão da identidade surda à história e obra dessas escritoras.

O evento também dará visibilidade a diversas pesquisas de caráter crítico-feminista que vêm sendo desenvolvidas nos 11 anos de existência do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFS, que, em 2017, inaugurou seu curso de Doutorado. A presença de dissertações voltadas para o recorte crítico-feminista destaca um dos vieses mais presentes entre os interesses de pesquisa em Estudos Literários e também em Estudos Linguísticos em Sergipe.

As sessões serão facultadas ao público das graduações e pós-graduações de Letras e das áreas das Ciências Humanas que tenham como corpus a produção de autoria feminina campo teórico ou abordagem metodológica a Crítica Feminista, com vistas a fortalecer as relações interdisciplinares entre literatura e estudos de gênero, literatura e educação e literatura e as diferentes manifestações artísticas e midiáticas.

Este evento tem o apoio da Universidade Federal de Sergipe, do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) e do Programa de Pós-Graduação Profissional em Letras em Rede (PROFLETRAS). Entre as parcerias, destacamos o apoio das agências de fomento: FAPITEC - Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe, CAPES e CNPq;  além da parceria com a Editora  Criação, que será a responsável da  parte de Editoração dos anais e e-book e da confecção do material gráfico.